Turbo 1000, o torrador industrial que mudou a história do Felipe Inácio e do Café Capital

Turbo 1000, o torrador industrial que mudou a história do Felipe Inácio e do Café Capital

Nascido e criado em uma família de torradores de café, Felipe Inácio seguiu os passos do seu pai e avô e é hoje o responsável pelo Café Capital. Com muito trabalho e dedicação, ele está mostrando a todos a sua capacidade de ampliar ainda mais os negócios, sem deixar a qualidade de lado.

O Café Capital foi fundado no Rio de Janeiro, em 1943, por portugueses. Naquela época era uma cafeteria com microtorrefação e em 1946, quando foi comprada pela indústria Camões, tornou-se a empresa como conhecemos hoje, com uma linha completa de cafés.

Foi só em 2003 que o Café Capital entrou para a família de Felipe, quando seu pai comprou a fábrica.

“A gente adquiriu a fábrica em 2003 quando viemos do interior para o Rio de Janeiro. Tínhamos a café Favorito em Volta Redonda. Vendemos a indústria lá e viemos para o Rio em 2003 para comprar o Café Capital”, explica Inácio.

A história de Felipe com o café teve início poucos anos depois da compra da indústria. Em 2006, aos 19 anos, ele entrou para o ramo da torrefação de café, quando abriu a cafeteria com o nome Café Capital, enquanto cursava a sua faculdade de engenharia. “Naquela época eu era um menino, estava ali tentando aprender alguma coisa enquanto cursava a faculdade. Comecei na ponta.”, ressalta Felipe.

Logo após a sua entrada nos negócios da família, a produção de cafés torrados já era maior do que o torrador utilizado podia suportar, então seu pai sentiu a necessidade de adquirir um torrador de café maior, que pudesse fazer a torra de grandes quantidades de café em pouco tempo. Foi então que a família adquiriu a segunda versão do Turbo 1000, um torrador industrial da Probat Leogap.

“Em meados de 2010 meu pai resolver fazer a reforma do chão da fábrica. Eu já tinha cursado engenharia e também administração nessa época, então acabei indo ajudá-lo nessa reestruturação/reformulação. Tiramos um equipamento 100% manual, e modernizamos a fábrica, automatizando 80% das suas operações. No final do processo, tudo passou a ser controlado por computadores. E nós fizemos isso juntos, a reestruturação tanto da área de armazenagem, elevadores, motores, empacotadores e também o torrador. Acabei aprendendo bastante com a galera da Leogap que foi lá fazer a instalação do equipamento. Foi a partir daí que eu mergulhei para valer no mundo da torra e percebi que o torrador era o coração da indústria e na minha opinião continua sendo até hoje”, comenta Felipe.

Com a vivência na torra de café, Felipe se tornou um apaixonado pelo ramo. Desde que começou, até hoje, fez inúmeras especializações em torra de café. Além de mestre de torra é também administrador das lojas e criou sua própria marca de cafés especiais, a Bario.

“Eu me divido um pouco, já não opero mais diretamente o torrador, mas sou eu quem faço o controle de qualidade, principalmente porque torramos os cafés especiais no Turbo também. Como hoje já temos um volume considerável, consigo fazer a torra nele. Mas é isso, a minha história profissional com o café começou nesta época, em torno de 2006, mas a minha história pessoal vem desde que eu nasci, ou melhor dizendo, bem antes do meu nascimento eu já estava tentando sentir o cheiro”, brinca Inácio.

Hoje o Café Capital é um importante produtor de café no Rio de Janeiro, trabalhando não só na torra, mas também fornecendo o aluguel de máquinas para ambientes profissionais, além de atender o público com deliciosos cafés em duas cafeterias no centro do Rio de Janeiro. E o torrador Turbo 1000 teve grande influência nesse sucesso.

“O Turbo 1000 é uma maravilha! Ele potencializou a nossa produção. Antes a indústria não tinha estrutura para torrar café arábica e conilon separados, hoje temos. Além disso, ganhamos mais velocidade de torra. Poder torrar um novo lote de café enquanto outro resfria é o melhor dos mundos.”, conta Felipe e completa: “a gente ganhou em qualidade, porque a tecnologia de torra do Turbo 1000 é fantástica. Eu fico maravilhado até hoje com a tecnologia, acho incrível! Fora a economia e a velocidade de entrega.”