Tag: probatone

Democratizando a informação em tornos dos cafés especiais: conheça o trabalho da Unique Cafés

Com uma comunidade de quase 160 mil #coffeelovers reunidos nas redes sociais, a Unique Cafés é sinônimo de consistência e inovação quando se fala em café e educação.

Mas, para chegar aonde chegou, o trabalho começou lá trás, há cerca de 15 anos. Idealizada pelos irmãos Helcio e Jacques Carneiro, a Unique Cafés nasceu com um propósito bem específico: mostrar ao público que, dentro da categoria dos cafés especiais, o que não falta é diversidade; e propagar a diversidade dos cafés especiais por meio da educação é a principal visão da marca.

Após um período de imersão no mercado externo, Helcio viu a necessidade de criar uma brand que democratizasse o acesso da população aos cafés especiais. Foi então que, em 2007 nascia a Unique Cafés, na cidade de São Lourenço, na região montanhosa da Mantiqueira de Minas.

A marca cresceu e, além da fazenda, se tornou uma indústria que hoje busca oferecer ao consumidor uma experiência consistente na xícara.

“Nosso maior desafio hoje é, após coletar amostras de diferentes produtores do país, desenvolver perfis que valorizem cada tipo de grão e manter na xícara um padrão consistente para o consumidor”, afirma Helcio.

Atualmente, a Unique Cafés conta com uma equipe de 3 profissionais dedicados exclusivamente à torra dos cafés que são realizadas em um equipamento da Probat Leogap, o Probatone 25.

“Não se trata apenas de técnica ou apenas de um equipamento. As duas coisas precisam estar alinhadas. Quando recebemos a visita de um técnico da Probat Leogap para manutenção, sempre recomendo aos torrefadores que tentem extrair o máximo de informações sobre como podemos extrai a melhor performance para que o resultado na xicara seja atingido com excelência”, destaca.

Trabalhando com cafés acima de 84 pontos, Helcio destaca algumas práticas que considera importante para obter um resultado satisfatório durante a torra: manter a consistência, prática diária, repetibilidade e entender a funcionalidade do equipamento.

“A prova e degustação constante são essenciais, pois café é xícara”.  

Acesso aos cafés e à informação

Com uma diversificada gama de clientes,  a Unique Cafés hoje atende o público B2B (empórios e cafeterias) e o público B2C (consumidor final). Na loja virtual, que existe há mais de 10 anos, é possível adquirir os cafés da marca de forma rápida, prática e intuitiva. São diversos tipos de cafés para todos os gostos, de edições limitadas (microlotes), até edições “raridade” (nanolote).

Além do e-commerce, no site da Unique Cafés também é possível encontrar uma categoria exclusiva com cursos e treinamentos para torrefadores, donos de cafeteria e apreciadores de cafés especiais, muitos desses conteúdos, inclusive, estão à disposição do público de forma gratuita. Os cursos de Barismo, Degustação e Torra são alguns dos destaques da categoria que em breve irá lançar mais uma novidade: um curso inédito de Gestão de Cafeterias, com foco na formação de empreendedores certificados e preparados para entrar no mercado.

Já no canal do Youtube e no Instagram da brand, semanalmente diversos conteúdos sobre o universo dos cafés especiais são compartilhados, a maior parte informativo, sempre com uma linguagem acessível e voltada para o entendimento desse universo.

No Sítio da Torre, de onde vem parte dos cafés da Unique, quem visita a região da Mantiqueira de Minas tem a possibilidade de imergir na cultura dos cafés especiais realizando um tour pela fazenda.

“Muito mais do que uma atração turística, aqui o visitante é impactado com informação sobre o funcionamento da cadeia do café especial, desde o início do plantio até o resultado obtido na xícara, passando pela etapa de torra, moagem e métodos de preparo”, conta.

Quando pesquisamos sobre a Unique Cafés na internet, diversos conteúdos sobre cafés especiais saltam da tela: aqui nota-se que o maior pilar da marca é a educação.

“A Unique nasceu da necessidade de educar o consumidor sobre cafés especiais, pois, apenas educando, é que ele irá se interessar pelo consumo. Educar é o nosso DNA”, finaliza Helcio.

Novos horizontes para o Cora Café

Torrefação que nasceu em 2017 ganha nova unidade com cafeteria em Itupeva

 

Essa história de amor já é uma velha conhecida: lá em 2015 Bruna Mussolini já traçava seu plano de negócio para tirar do papel o sonho da torrefação. Dito e feito! Em 2017 nasceu o Cora Café, no quintal da Fazenda de seus pais na cidade de Santa Rita do Passa Quatro, interior de São Paulo.

Anos se passaram e a vontade de crescer aliada a um sonho antigo se transformaram na motivação para ampliar o negócio. O processo de expansão ocorreu gradativamente, até que em 2019 o sonho que Bruna tinha de abrir uma cafeteria começou a se aproximar cada vez mais da realidade.

A mudança foi tamanha que até de cidade o Cora Café mudou. O destino: Itupeva. A junção da torrefação com uma nova cafeteria em meio a uma cidade nova, onde a cultura do café especial ainda dava os primeiros passos era o grande desafio. O projeto que nasceu em 2019 tinha como meta ser implementado logo no início de 2020, mas com a chegada da pandemia, o sonho precisou ser adiado. Em meio a um cenário caótico e pandêmico, o Cora Café foi inaugurado oficialmente em Julho de 2020.

Com uma rotina de torras sendo realizadas duas vezes na semana (todas as terças e sextas), a mestre de torra conta que a missão do seu negócio é desmistificar o café especial e aproximar cada vez mais o cliente da cadeia produtiva.

“Sempre gostei muito de falar sobre café. O caminho que ele percorre até chegar à xícara. É um trabalho artesanal que envolve muita técnica. Aqui no Cora Café, o objetivo é que o cliente se sinta parte do processo produtivo. Nosso ambiente, a disposição do torrador e das mesas foi arquitetada para isso”, conta.

Em meio a um cenário de incertezas, o Cora Café nadou contra a corrente: a procura pela experiência da cafeteria na cidade aumentou na mesma proporção que aumentou também a curiosidade e o encanto pelo universo dos cafés especiais por parte do público.

“No início os clientes estranhavam o conceito de café especial. Mas depois de conhecer e mergulharem nesse universo a aceitação aumentou muito e hoje, por exemplo, a cafeteria se tornou um ponto turístico na cidade. O nosso Probatone 12 virou atração, chamando a atenção de todos os olhares atentos que passam por aqui”, destaca.

Para 2021, Bruna tem planos ambiciosos. Com o aumento da procura pelo consumo de cafés especiais por parte de seus clientes, cresceu também a curiosidade em torno do assunto, levando o público a buscar conhecimento específico sobre o mundo da torra. Pensando nisso, Bruna desenvolveu uma série de cursos e workshops com o objetivo de dar treinamento a quem se interessa pelo assunto. Entre os cursos ofertados estão: métodos de preparo, análise sensorial e cursos de torra.

Aqui no Cora Café sempre incentivamos nossos alunos e colaboradores a investir no conhecimento técnico para estarem preparados para o mercado. A gestão de um negócio precisa ser levada a sério. O café é um processo que deve ser bem feito em todas as etapas”, finaliza.

WhatsApp Image 2021-02-08 at 12.32.44

Black Horse Coffee se destaca pela excelência em cafés especiais

Referência em Santa Catarina, a Black Horse Coffee tem como missão viabilizar o café especial para o consumidor final, com qualidade e hospitalidade.

Supernova Coffee na busca pela democratização dos cafés especiais do Brasil

Foi durante a universidade que Luiz Eduardo Melo teve seu primeiro contato com o café especial. Lá em 2003, entre uma aula e outra, o estudante de direito estendia o estudo visitando algumas cafeterias de Curitiba que ofereciam cafés especiais, afinal de contas para quem é estudante de graduação o café funciona como um motor para continuar esperto durante uma rotina tão exaustiva.

“Quando provei o café especial pela primeira vez vi que a bebida com a qual estava acostumado não era café. A partir de então me tornei um apreciador”

Passado alguns anos da primeira experiência com o café especial, Luiz concluiu a faculdade e começou a trabalhar na empresa da família, porém em 2013 interrompeu suas atividades em busca de uma nova ocupação. Convidado por um amigo para um viagem de negócios até a Tanzânia, Luiz descobriu  por acaso sua verdadeira vocação:

“Quando cheguei no país e tive contato com a excelência dos cafés africanos algo novo despertou dentro de mim, e foi nesse exato momento que percebi que o café seria meu novo caminho. Bastava apenas colocar as habilidades em prática que tudo ia dar certo”

Luiz voltou para Curitiba e viu a oportunidade de empreender na capital após um longo estudo realizado, e abrir uma microtorrefadora parecia um excelente negócio.

“Percebi que o café tinha uma relação com as pessoas que nenhuma outra bebida tem – nem o vinho possui isso. O café é consumido desde por uma criança até um idoso, além do fato de que o café está em todas as classes sociais, atinge todas as raças e gêneros – foi então que percebi que o café era muito mais do que um produto”

A ideia de abrir uma microtorrefadora ao invés de somente uma cafeteria surgiu após o torrefador conhecer alguns modelos na Europa e nos Estados Unidos. Seu principal objetivo desde o início era trazer ao brasileiro um contato profundo com o verdadeiro café, uma bebida que muita gente não estava acostumada.

“Torrando o meu próprio café crio um vinculo não apenas com a origem do grão, mas também com o cliente que deseja adentrar nesse universo”

Com 4 lojas espalhadas pela cidade atualmente, Luiz nos conta como foi importante a realização de estudos específicos para escolher cada locação do Supernova Coffee.

“Todos os pontos foram muito bem estudados para atingir não apenas quem já consome cafés especiais, mas também para alcançar quem ainda não conhece esse universo. As lojas centrais que oferecem o serviço de café pra viagem, por exemplo, ficam localizadas em pontos estratégicos perto de praças e do calçadão, dessa forma as pessoas que passam pela rua se sentem atraídas a visitar o espaço quando sentem o cheiro delicioso de torra e acabam comprando um café para experimentar mesmo que esteja na correria do dia-a-dia”

Cliente da Probat desde que a loja iniciou suas atividades, o torrefador não esconde a preferência pela marca.

“Quando criamos o Supernova Coffee nosso objetivo era demonstrar qualidade e ser reconhecido pela excelência na torra de cafés especiais, e apenas o melhor equipamento do mercado nos ajudaria a cumprir essa missão”

Dono de um Probatone 5, desde que começou a torrar cafés Luiz foi em busca de cursos de torra para aperfeiçoar cada vez mais suas habilidades. Roaster Professional certificado pela Specialty Coffee Association of America (SCAA) Luiz também é instrutor sensorial de torra, uma certificação que carrega com orgulho.

“Busquei o estudo para aperfeiçoar cada vez mais o nosso café e entregar um produto de qualidade para o consumidor. Trabalhando com um Probat me sinto seguro e confiante; tenho muito mais facilidade para aprender, ensinar e manter a constância na qualidade da torra, fator determinante que ajudou na expansão da nossa marca”

Café não é só Café

A missão do Supernova Coffee, segundo Luiz, é democratizar o café.

“Aumentando a divulgação dos cafés especiais, mais pessoas irão se interessar pela bebida e consequentemente todo o mercado vai ganhar”

O proprietário investe em diversas ações que visam alcançar novos adeptos do café especial, como por exemplo o oferecimento de provas gratuitas a novos consumidores, realização de palestras específicas sobre o tema, aproximação de produtores com clientes que desejam saber de onde vem o grão e também mostrando ao produtor quem é o consumidor final de todo o seu trabalho que começou lá na lavoura.

O documentário “Café não é só café”, uma produção independete do Supernova Coffee, é exemplo desse trabalho de democratização do café. Desde o início de 2017 a equipe do Supernova em parceria com a Probat produziu um filme que mostra toda a cadeia produtiva do café desde o plantio do grão nos cafezais até a bebida chegar na xícara do consumidor. O material que foi exibido em um pré-lançamento durante a Semana Internacional do Café, em Setembro, foi uma oportunidade encontrada pelos proprietários da microtorefadora para deixar um legado para o Supernova Coffee.

“As pessoas não tem noção do trabalho que existe por trás de uma xícara de café e o objetivo do documentário é trazer a tona toda a trajetória desse processo e incentivar cada vez mais a produção dos cafés especiais no Brasil”